Páginas

25 de nov de 2012

Filme: ESCRITORES DA LIBERDADE

video
Cenas do Filme que trabalhamos no grupo de Estudo sobre Diversidade Cultural e  Igualdade Social...


Linda mensagem !!!

video

23 de nov de 2012

31 de mai de 2012

DIA DO DESAFIO

AQUI TODO DIA É UM DESAFIO!

CRIANÇAS, PROFESSORAS E FUNCIONÁRIAS ANIMADOS NESTE DIA.












23 de mai de 2012

DIA DAS MÃES - 2012

Esta linda rosa foi cultivada em nosso jardim. Dedicamos a todas as mães esta linda imagem que fala por si só...





PAINÉIS E APRESENTAÇÕES DIA DAS MÃES...





TURMA DAS PROFESSORAS MARIUZANE E VENERITA - CRECHE II



TURMA DA PROFESSORA IZABEL E ELISÂNGELA - CRECHE III



TURMA DAS PROFESSORAS SUELI E NÁDIA - PRÉ I A



TURMA DA PROFESSORA ROSANGELA E SALETE - PRÉ I B



TURMA DAS PROFESSORAS BERNADETE E RAQUEL - PRÉ II A



TURMA DAS PROFESSORAS SONIA E MARIA CRISTINA - PRÉ II B



TURMA DAS PROFESSORAS JANICE E BENTA - PRÉ II C







PROJETOS 2012


PROJETO CRECHE II – PROFESSORAS: MARI E VENERITA

TEMA: BRINCANDO EU APRENDI E NUNCA MAIS ESQUECI
OBJETIVO: Promover através dos jogos e brincadeiras o desenvolvimento cognitivo, emocional, social, psicológico e afetivo  da criança.


O projeto “Brincando eu aprendi e nunca esqueci” foi realizado com 27 alunos da creche II, do Centro Municipal de Educação Infantil Rubens José Quintiliano, pelas professoras Mariuzane e Venerita de abril a outubro de 2012.       
Sabemos que nessa faixa etária de 2 a 6 anos a criança encontra se  necessitada de novos desafios; sem esses a criança definha, torna-se apática, ou agressiva.   A brincadeira é tão importante que é até usada pela psicologia como forma de tratamento. É a Ludoterapia  que segundo Telles nada mais é que a observação da forma que a criança brinca.  Durante o projeto procuramos fazer com que nossos alunos se relacionassem com outros colegas da creche, favorecendo a socialização dos mesmos, bem como o fato de sentir  prazer ao brincar com o seu colega.A criança aprende brincando, o que aparentemente, ela faz para gastar energia é na realidade uma importante ferramenta para seu desenvolvimento.                                                                                                                         Com o projeto as crianças puderam:                                                                                 
  • ·     Expressar manifestações de desejos e sentimentos no cotidiano.
  • ·     Adquirir hábitos de cuidados, valorizando atitudes relacionadas com a higiene do seu corpo.
  • ·  Demonstrar através do lúdico a convivência com diferentes sentimentos do seu interior.
  • ·    Criar o hábito do dialogo, como forma de resolver conflitos.
  • ·      Exercitar a imaginação e a criatividade através dos jogos e brincadeiras.                  
  • ·    Respeitar as diversas crenças e culturas étnicas do grupo que frequenta.  Concluímos, então que o desenvolvimento do aspecto lúdico facilita a aprendizagem, o desenvolvimento pessoal, social e cultural. Facilitando os processos de socialização, comunicação, expressão e construção do conhecimento. Enfim, desenvolve o individuo num todo.


PROJETO CRECHE III – PROFESSORAS: IZABEL E ELISÂNGELA

TEMA: MEU MUNDO MEU MOVIMENTO
OBJETIVO: Controlar e ampliar gradativamente o próprio movimento, aperfeiçoando seus recursos de deslocamento e ajustando habilidades motoras nos jogos, brincadeiras, danças e demais situações propostas.


Com o presente projeto desenvolvido, percebemos que é possível pensar nos jogos e brincadeiras enquanto conteúdos de ensino que possibilitam a valorização das experiências do aluno, a sua cultura e a construção do conhecimento a partir da relação com o meio, resolvendo problemas e promovendo descobertas.                                                                      
É importante ressaltar que os educadores precisam estar atentos para o fato de que as crianças dão preferência ao lúdico, sendo que nenhuma destas se desenvolve igual à outra, cada uma no seu tempo, levando em conta a sua faixa etária.                                                                                                                                  
Sendo assim a criança adquiri uma relação com o lúdico através de interações sociais, aprendendo a participar ativamente nas atividades propostas e observar o que está sendo apresentado através do domínio do próprio corpo.                                                                                                          
Segundo Vitor Fonseca (2004), é por meio da atividade motora que a criança vai construindo um mundo mental cada vez mais amplo, não apenas em conteúdo, mas também estrutura.                                                                                       
Concluímos com este trabalho que precisamos estar realmente compromissados com as crianças, no qual é a fase mais importante para o desenvolvimento e construção do sujeito. A psicomotricidade é o diferencial nesta etapa quando realizada com objetivos claros e concretos.                                      
Nas atividades psicomotoras os alunos revelaram as mais diferentes emoções, tendo a oportunidade de criar, expressar se por meio das brincadeiras, conhecerem a si mesmos e as diferentes funções que o corpo realiza conhecer o outro, e o espaço.                                                                             
Concluímos também que a psicomotricidade quando envolvida com aprendizagem, traz resultados positivos, pois foi através das atividades de movimentos que nossos alunos tiveram a oportunidade de desenvolver-se cognitivamente, pois com um simples traçado de uma letra no chão, quando a criança passou por cima, ela estava  assimilando este movimento, e também com um simples modelar de uma massinha,  oportunizamos a criança a movimentar seus punhos que muita das vezes não se locomovem adequadamente, o que possibilitará a escrita da criança quando entrar na fase de alfabetização. O corpo é o veículo para a ação, para o conhecimento e para socialização. As experiências corporais modificam o intelecto, a vida afetiva e as ações motoras dos indivíduos. O corpo deve ser visto como um todo, pois nele estão todas as tensões e emoções que caracterizam a evolução psico afetiva de um sujeito. Toda a educação psicomotora deve ser realizada levando-se em conta as necessidades reais do indivíduo, partindo do simples para o complexo. Sem dúvida uma criança que não conhece a si mesmo e suas potencialidades não conseguirá  também relacionar-se com si mesmo e com os outros, vivendo em mundo isolado e distante, sendo assim procuramos estimular o movimento através de brincadeiras e jogos, proporcionado assim uma vivencia corporal ampla capaz de desenvolver capacidades física, afetivas e motoras.


PROJETO PRÉ I A – PROFESSORAS: SUELI E NÁDIA

TEMA: OS DONOS DA TERRA RIQUEZAS DE UMA GRANDE CRIAÇÃO
OBJETIVO: Visualizar e conhecer as diferentes etnias internas de nossa sala de aula, respeitando a pluralidade cultural e étnica, contribuindo para a construção de uma sociedade em que as diferenças não se constituem em desigualdades.


Através da observação da sala de aula percebemos as varias descendências que ali se encontram. Sendo assim trabalhamos sob um enfoque pluralista da cultura brasileira, podendo ressaltar aspectos que contribuíram para uma melhor  valorização dos grupos étnicos.Desta forma, através de diversas atividades a criança conseguiu elaborar os saberes de forma mais reflexiva, mais participativa, permitindo a construção de um ser, agente de transformação, consciente de seus direitos e deveres, de um ser em constante desenvolvimento.
O projeto ”Os Donos da Terra, riquezas de uma grande criação” foi realizado com os alunos do Pré I A do Centro Municipal de Educação Infantil Rubens José Quintiliano pelas professoras Nádia Santiago da Silva e Sueli das Graças O. Barbosa, entre os meses de abril a outubro de 2012, almejando o acolhimento das diferentes culturas a diversidade de etnias, crenças, costumes e valores que caracterizam a população brasileira.Para a realização deste projeto contamos com os espaços internos e externos de nossa instituição. A transmissão e concretização dos conteúdos acontecerão através de brincadeiras e atividades diversificadas. Em algumas situações contamos com a presença e colaboração dos pais, professores, alunos, funcionários do CMEI e da comunidade em geral.
Artes visuais
 Confeccionamos a bandeira do Brasil para identificar que somos a mistura de vários povos como negros, pardos, índios e bugres.
 Música
 Cantamos a música Na Tribo e discutimos como seria a vida numa tribo indígena através de um painel que foi confeccionado com desenhos desta forma o processo de ensino e aprendizagem tornou-se mais atrativo.
História
 Contamos várias lendas japonesas como A lenda da cerejeira. Entre as diferentes formas de exploração desta história, fizemos um passeio na ACEC para conhecer a árvore e um pic nic onde fomos muito bem recebidos pelos japoneses e confeccionamos um painel com o desenho da árvore.
Matemática
 Através das brincadeiras desenvolveram o raciocínio, a coordenação motora ampla e fina, a concentração, montagem, construir usando a criatividade e a imaginação.
 Movimento
Pesquisamos na internet algumas danças africanas como Maculelê, Dança cultural Afro-Brasileira e Grupo de Dança Pérola Negra onde os alunos tiveram a oportunidade de assistir.
 Linguagem Oral e Escrita
Deu-nos as principais ferramentas para o trabalho com o tema em questão por meio de contações e recontações, faz-de-conta, hora da literatura, exploração de materiais escritos, confecção de painéis coletivos, pesquisas na internet, envolvimento dos pais que durante todo o projeto estiveram muito presentes assim, convidamos a Somália mãe da Gabriely Cordeiro para apresentar uma dança africana com os seus alunos do Pró-jovem onde todo o CMEI pode assistir.
 Natureza e Sociedade
 Fizemos passeios observatórios onde deixou o ensino mais prático, acessível e prazeroso a exploração e a assimilação dos conteúdos, fomos passear junto com os colegas do Pré I B onde pudemos observar uma fazenda construída pelos escravos que conserva até hoje sua história e sua cultura a Fazenda Capão Alto.
 Linguagem Oral e Escrita
 Como ficou bonito nosso nome escrito em japonês, na verdade ficou muito diferente. Os alunos aprenderam também algumas palavras escritas em japonês como Deus, Jesus, Com licença, Obrigado e Animais em geral.


PROJETO PRÉ I B –  PROFESSORAS: ROSANGELA E SALETE

TEMA: BRINCRIAR

OBJETIVO: Proporcionar às crianças o contato, manipulação e a confecção de variados tipos de jogos, para que brincando e criando encontrem respostas às suas curiosidades, aprendam, ensinem e interajam entre si desenvolvendo atitudes de convivência saudável e construtiva.


O projeto “Brincriar com os jogos” foi elaborado pelas professoras Rosangela Ribeiro e Salete Regina Tavares do Nascimento com a turma do Pré I B, no Centro Municipal de educação Infantil Rubens José Quintiliano. Para a realização do projeto contamos com as dependências internas e externas do C.M.E.I., realizamos ainda alguns passeios e contamos com a participação das famílias e das demais turmas do C.M.E.I.
Tendo em vista que o jogo tem um fator mágico em sua relação com os alunos, estes estão sempre dispostos a jogar e brincar. E, este fator é talvez um dos mais importantes do jogo, é o que promove a motivação gerando maior participação e interação entre os envolvidos.  Através deste buscamos respostas às perguntas das crianças. 
          Proporcionamos às crianças o contato, manipulação e a confecção de variados tipos de jogos, para que brincando e criando encontrassem respostas às suas curiosidades, aprendendo, ensinando e interagindo entre si desenvolvendo atitudes de convivência saudável e construtiva.
         Criando e realizando jogos a partir das curiosidades das crianças.
         Utilizando os jogos para transmitir conteúdos e comportamentos socialmente valorizados em que as crianças vivenciem situações e problemas, interagindo e superando-os.
         Estimulando o pensamento criativo e divergente, gerados pela criatividade. Aprendendo a viver e conviver em sociedade, criando vínculos verdadeiros com os colegas.
Desenvolvendo hábitos e atitudes, respeitando o outro, melhorando o comportamento social.
Incentivando o gosto pelos diversos tipos de jogos e brincadeiras, assim como pela sua confecção.
Compreendendo a competição como parte e não como essência do jogo (saber perder e saber ganhar).
Reafirmando conhecimentos referentes a valores e normas que asseguram a formação da personalidade das crianças.
Envolvendo outras turmas do C.M.E.I. Em atividades diversas promovendo a interação entre crianças de faixas etárias diferenciadas.
Contando com a colaboração das famílias nas atividades com os jogos, assim como na melhoria do espaço interno e externo da sala de aula.
Valorizando brincadeiras de hoje e de outras gerações.
Diferenciando o “eu” do “outro”.
Percebemos através das brincadeiras e roda de conversa o interesse das crianças pelos jogos e também observamos entre eles falas curiosas, como: “Depois da chuva vem o arco-íris no céu...” E, não menos importante verificamos a necessidade de uma melhor interação entre eles.
Partindo desses interesses e necessidades, optamos por desenvolver o “Projeto Brincriar com os jogos” através do qual contamos com a colaboração das crianças e suas famílias melhorando o espaço interno e externo da sala de aula tornando-o propício ao jogo e as brincadeiras.
Jogando e brincando as crianças encontraram respostas às suas curiosidades, pois partindo dessa perspectiva compreenderam que o jogo e as brincadeiras permitem a criança criar, imaginar, fazer de conta. Funcionou como um laboratório de aprendizagens, permitindo experimentar, medir, utilizar, equivocar-se e fundamentalmente aprender. Pois, nada mais sério do que uma criança brincando.
            Brincar é um direito fundamental a toda criança do mundo inteiro, cada criança deve estar em condições de aproveitar as oportunidades educativas voltadas para satisfazer suas necessidades básicas de aprendizagem.                                                                                  
        Para Piaget (1998), o jogo constitui-se em expressão e condição para o desenvolvimento infantil, já que as crianças quando jogam assimilam e podem transformar a realidade.
             Florestam Fernandes MELO (1981) parece partilhar desta concepção ao ressaltar que pelo jogo e pela recreação, a criança se prepara para a vida, amadurece para se tornar um adulto em seu meio social.
Wallon (1994) evidencia o caráter emocional em que os jogos se desenvolvem em seus aspectos relativos à socialização, a descoberta da relação com o outro que o jogo é capaz de propiciar.
Freud (1983) referiu-se pela primeira vez à importância do jogo infantil em 1903 naquela oportunidade afirma que no jogo a criança cria o mundo dela, reordena suas ideias e as coisas do mundo.
Vygotsky (1992) faz a seguinte afirmação: “Inicialmente, as primeiras ações lúdicas surgem com base na necessidade crescente da criança de dominar o mundo dos adultos”.
Os jogos favorecem o domínio das habilidades de comunicação, nas suas várias formas, facilitando a auto expressão. Encorajam o desenvolvimento intelectual por meio do exercício da atenção, e também pelo uso progressivo de processos mentais mais complexos, como comparação e discriminação; e pelo estimulo à imaginação. Todas as vontades e desejos das crianças são possíveis de serem realizados através do uso da imaginação, que a criança faz através do jogo.
A aplicação de jogos, brincadeiras e brinquedos em diferentes situações educacionais podem ser um meio para estimular, analisar e avaliar aprendizagens específicas, competências e potencialidades das crianças envolvidas.
Na Linguagem Oral e Escrita, trabalhamos com Rimas, par lendas, poesias, adivinhas. Foram feitos registros através de desenhos, pinturas, recorte, colagem; Entrevistas com os pais; Painéis escritos pelos professores, registro de músicas, textos, dramatizações, leituras e interpretações de textos, histórias, músicas. Dinâmicas. Faz-de-conta e exploração de materiais escritos. Em especial damos destaque para a Lenda do Arco-Íris onde os alunos fizeram interpretação e reprodução da lenda, criando assim uma obra de arte
Através da mesma. Nas atividades envolvendo a área da  Matemática  exploramos: Maior – menor/ alto – baixo/ grande – pequeno. Formas geométricas. Quantidades. Diferenças. Textura. Grandezas e medidas. Músicas. Destacamos o jogo de bingo com os números e letras e a montagem de figuras com as formas geométricas.
           Em Natureza e Sociedade ouvimos e contamos Histórias. Trabalhamos a Igualdade e a Diversidade, realizamos Pesquisa com os pais; Observamos o Meio ambiente realizando diversos Passeios, convidamos as mães para uma tarde de Brincadeiras. Visitamos a Fazenda Capão Alto onde eles ficaram encantados com a natureza e a história dos escravos que lá viveram.
         Na área da MÚSICA ouvimos Cantigas de roda e reproduzimos músicas com gestos, usando o ritmo, dança, dramatização e exploração de objetos que produzem sons, explorando sons do próprio corpo.
          Nas ARTES VISUAIS trabalhamos as cores, modelagens, desenhos, recorte, colagem, pintura com tinta, lápis de cor, giz de cera, dobraduras, confecção de painéis com material alternativo. Exploração de várias técnicas: pintura gêmea, assopro com canudinho, jogos e brinquedos. Manuseio de revistas e outros materiais impressos. Filmes, desenhos, dramatizações. Sendo que a atividade artística que mais se destacou foi a origem das cores onde realizamos a mistura de cores para obtermos as cores secundárias e terciárias. 
          No MOVIMENTO foram realizadas diversas atividades com música, danças, exploração corporal no parquinho e dinâmico. A atividade que mais eles gostaram foi a amarelinha das cores.
 Conclusão
           No decorrer do desenvolvimento do projeto as crianças demonstraram grande interesse pelos jogos e suas curiosidades foram sanadas sobre várias perguntas e questionamentos que faziam logo no inicio do ano sobre: de onde vem o arco-íris e se ele somente aparecia quando chovia, se vulcões explodiam a terra, se a minhoca tem boca e o elefante voava, enfim estas respostas foram pesquisadas e estas descobertas foram transformadas em jogos, experiências, conversas e muitas atividades.
        Ressalta-se a grande importância da participação das famílias no cotidiano escolar onde foi criada a mala “Brinca em casa”, onde os pais tiveram a oportunidade de jogar e brincar com seus filhos, momentos esses relatados pelas crianças nas rodas de conversa com grande alegria e entusiasmo.
        A esperança de uma criança, ao caminhar para escola é encontrar um amigo, um guia, um animador, um líder- alguém muito consciente e que se preocupe com ela e que faça pensar, tomar consciência de si e do mundo e que seja capaz de dar-lhe as mãos para construir com ela uma nova historia e uma sociedade melhor.





PROJETO PRÉ II A –  PROFESSORAS: BERNADETE E RAQUEL

TEMA: VIVENDO OS VALORES NA EDUCAÇÃO

OBJETIVO: Ser capaz de conviver harmonicamente com as diferenças, respeitando os limites da convivência social tendo como princípios básicos o amor próprio e aos outros.



O Projeto Vivendo os Valores na Educação foi desenvolvido com vinte alunos do Pré II A do Centro Municipal de Educação Infantil Rubens José Quintiliano pelas professoras Bernadete e Raquel, juntamente com os pais, comunidade e demais turmas do CMEI entre os meses de abril e outubro de 2012, onde o mesmo visou auxiliar a criança desenvolveram melhores atitudes de convivência, mais amistosa e saudável através de vivências, brincadeiras em grupo e dinâmicas, onde com o passar dos dias foram tomando consciência sobre a forma de agir com os colegas e demais funcionários bem como no âmbito familiar também.
Foram realizadas muitas rodas de conversa, onde cada criança pode expressar seus sentimentos, relataram fatos, mudaram atitudes de violência, melhoraram o vocabulário, e aprenderam a conviver juntos principalmente com os colegas que são portadores de necessidades especiais, onde passaram a compreender melhor os fatos e aceitaram novas regras, compreenderam a sua importância no mundo social e valorizando-se assim a pessoa existente em cada um, através das histórias e as virtudes que cada uma apresentava as belas mensagens e as tendências para o bem. Puderam fazer comparações entre os personagens, dramatizarem e compreenderam que devemos saber ganhar e perder, a brincar com todos os colegas, a importância de Deus em nossa vida, aprenderam seus direitos, mas também seus deveres, ou seja, conheceram valores da conduta humana através de conceitos até então abstratos para as crianças e que se tornaram de fácil assimilação nas diferentes atitudes do dia a dia.
As crianças entraram em contato com diferentes tipos de livros, aulas passeio, jogos em grupo, dinâmicas e convivência com pessoas mais experientes que muito contribuíram para a melhoria da convivência, na escola e no mundo que os cerca, o respeito aos limites de cada um e assim foram capazes de conviverem harmonicamente uns com os outros, diferenciando o “eu” e o “outro”, e asseguraram a formação da personalidade das mesmas e muitas barreiras foram superadas, através das reflexões sobre suas ações corriqueiras.
Trabalhar valores é algo que não é visível e imediato. Os valores se constroem no convívio com o outro, nas ações do dia-a-dia, e, nós, educadores, precisamos, além de dedicar a atenção a determinados valores no momento e na hora certa, assumir esse compromisso com o coração e com a ação. É fundamental planejarmos atividades específicas para refletir junto aos alunos sobre o comportamento humano, sem apontar o defeito do outro, e oportunizarmos que cada um se "olhe" e se expresse, trazendo exemplos de situações vividas para uma discussão. Isso é agir em prol do bem-comum, é papel que cabe a cada um de nós.
É durante esse período escolar que o educando toma posse dos conhecimentos mínimos necessários para o exercício da cidadania, tomando consciência para a escolha de um futuro profissional.
Assim, considerando a escola como um amplo espaço de relações humanas onde decisões e julgamentos são feitos a todo tempo, é preciso considerar o que se faz na escola, de forma refletida ou irrefletida, consciente ou não, em busca da defesa de finalidades ou bens maiores inscritos em nossos valores morais.        
Temos a certeza que nossa semente foi lançada e que certamente muitos frutos de boas atitudes foram colhidos e acreditamos que outros futuramente germinarão no amanhã.


           
       PROJETO PRE II B –  PROFESSORAS: SONIA E MARIA CRISTINA


TEMA: SÃO AS PERGUNTAS QUE FAZEM O MUNDO GIRAR

OBJETIVO: Proporcionar às crianças meios de darem sentido e significado ao mundo , a partir de seus questionamentos,tornando-as pessoas observadoras, críticas e capazes de refletirem e argumentarem perante as mais variadas situações da realidade que as cerca.




Com a realização deste projeto, pudemos constatar um grande envolvimento dos alunos com os temas trabalhados em sala de aula, porque eles participaram trazendo suas contribuições através de pesquisa realizadas com os pais, através de relatos, das idéias que nos davam sobre os assuntos trabalhados, dos questionamentos que faziam e que muitas vezes não concordavam com as respostas e então passavam a argumentar e fazer possíveis hipóteses.
Foram gradativamente desenvolvendo o censo critico e de observação, bem como buscando embasar suas opiniões e comentários. Adquiriram uma grande autoestima e confiança e ao mesmo tempo a noção de que o ser humano vai pouco a pouco ampliando seus conhecimentos, pois não sabemos tudo, mas sempre temos algo para ensinar e compartilhar com aqueles que convivemos.

Tratamos de diversos temas e conteúdos, explorando-os dentro das áreas do desenvolvimento:
MOVIMENTO: Contando com recursos como: música, dança, exploração corporal, trilhas de obstáculos, parquinho, brincadeiras livres e dirigidas.                
MÚSICA: O processo de ensino e aprendizagem tornou-se mais atrativo através de músicas variadas,  histórias, lendas, jogos e brincadeiras musico - corporais, etc.                                                                                                                        
ARTES VISUAIS:Permitiu a reprodução dos conhecimentos, o desenvolvimento da criatividade e da imaginação através de desenhos, modelagens, recorte, colagem, pintura usando diferentes técnicas e materiais, exploração e confecção de livros, manuseio de livros, revistas e outros materiais escritos, filmes, desenhos, músicas, histórias, dobraduras, dramatizações, alinhavos, etc.            
LINGUAGEM ORAL E ESCRITA:Deu-nos as principais ferramentas para o trabalho com o tema em questão por meio de contações e recontações, faz de conta, hora da literatura, dramatizações, construção e manipulação de fantoches e livros, exploração de materiais escritos, confecção de painéis coletivos, pesquisas, informativos, cadernos de registro com envolvimento dos pais ou responsáveis.             
NATUREZA E SOCIEDADE:Entrevistas e pesquisas com os pais e familiares,  a participação e colaboração dos familiares em determinadas atividades,   passeios, construção de jogos e brinquedos .Tudo isso deixou mais prático, acessível e prazeroso a exploração e a assimilação dos conteúdos.                
MATEMÁTICA:Dentro das atividades a serem desenvolvidas trabalhou-se noções relativas ao conhecimento e reconhecimento de numerais, quantidades, geometria, tempo, espaço, soluções de situações problemas, pensamento lógico-matemático.

PROJETO PRE II C – PROFESSORAS: BENTA E JANICE

TEMA: SEMEANDO ECOLOGIA, COLHENDO CIDADANIA

OBJETIVO: Estimular as crianças a observarem e refletirem sobre hábitos do cotidiano, mostrando lados positivos e negativos da ação do homem, conscientizando-os a valorizar a preservação do meio ambiente e a cultivar a tolerância, aceitando as diferenças entre as pessoas.


RELATO – PRÉ II C: PROFESSORAS BENTA E JANICE

          Este projeto foi desenvolvido com a turma do Pré II C, onde frequentam 26 alunos entre 5 a 6 anos no  Centro Municipal de Educação Infantil Rubens José Quintiliano, sob a regência e orientação das professoras Benta Maria da Silva e Janice Aparecida de Oliveira, nos meses de abril a outubro do ano 2012.
       A escolha do tema “Semeando ecologia colhendo cidadania” surgiu devido à grande preocupação dos alunos com as plantas do jardim do CMEI em estarem murchas, quase morrendo e sem vidas, em dias de calor intenso e a falta de chuva.
        Diante desta preocupação das crianças, surgiu a necessidade de trabalharmos com o tema direcionado a preservação do meio ambiente, onde pudemos desenvolver nas crianças uma consciência ecológica levando- as adquirir hábitos saudáveis respeitando, preservando o nosso meio ambiente, para que assim os fenômenos e acontecimentos físicos, biológicos e geográficos que temos vivenciados sejam minimizados. Pois quanto mais cedo as crianças receberem noções de Educação Ambiental, mais chances terão de serem adultos conscientes e responsáveis por suas ações.
        E também percebemos a necessidade de trabalhar “valores” com nossas crianças desde cedo, pois precisam perceber que ninguém é igual a ninguém, somos todos diferentes e precisam aprender a respeitar essas diferenças.
      Estimulamos as crianças a observarem e refletirem sobre hábitos do cotidiano, mostrando lados positivos e negativos da ação do homem, conscientizando-os a valorizar a preservação do meio ambiente e a cultivar a tolerância, aceitando as diferenças entre as pessoas, desenvolvendo o respeito, a cooperação, o humanismo com atitudes do cotidiano.         Transformando a boa conduta em serviço da natureza e da sociedade levando-os a apreciar os aspectos estéticos da natureza, incluindo os produtos da cultura humana, participando assim, de diferentes atividades envolvendo a observação, pesquisa e reflexão do meio ambiente. Com isso aprenderam a transformar material reciclável em objetos utilitários, adotaram posturas no CMEI, em casa e em sua comunidade havendo assim interações construtivas ambientalmente sustentáveis. As crianças também perceberam, apreciaram e começaram a valorizar a diversidade cultural e sociocultural, adotaram posturas de respeito aos diferentes aspectos e formas do patrimônio natural, étnico e cultural.
       A Ecologia tornou-se um dos tópicos indispensáveis na Educação Infantil, e isso tem um motivo: com a natureza ameaçada em diversos sentidos, nós precisamos conscientizar as crianças desde cedo, para que elas desenvolvam uma relação de respeito e colaboração com o meio em que vivem. Muitos dos hábitos incentivados pelo professor serão reproduzidos em casa e por toda a vida, daí a importância de dedicar um olhar especial para essa questão da preservação do meio ambiente, as próprias crianças puderam transmitir em suas casas “regrinhas” aprendidas no CMEI, como fechar a torneira enquanto escova os dentes, separar o lixo por tipo, não jogar papéis em branco, reaproveitar materiais etc.
Dessa maneira, as famílias e a sociedade em geral só têm a ganhar, pois um dos problemas mais graves que afeta a todos os seres humanos, na atualidade, é a degradação do meio ambiente, na história do planeta aconteceram catástrofes ecológicas muito graves que causaram danos, em suas maiorias irreparáveis. Os seres humanos, os animais e as plantas foram diretamente afetados por estes desastres ecológicos, causados geralmente pelo homem.
      A destruição dos bosques, a extinção de diversas espécies, assim como a poluição atmosférica, são algumas das consequências da atitude irresponsável do ser humano, a ambição e o egoísmo do homem ao pensar que pode fazer tudo o que deseja com os recursos que o planeta lhe oferece e isto está levando a sua destruição.
       A escola é um ótimo local para se aprender a importância de respeitar e cuidar do meio ambiente.
“A educação ambiental deve fazer o aluno a perceber que o planeta Terra poderá sobreviver, se o homem considerar-se parte da natureza e não superior a ela”, afirma Sandra Branco (GPEI, pg.08), e também diz que: “Um bom mestre é capaz de transformar seus alunos, ou melhor, possibilitar a transformação, aliando-se a técnicas eficazes que provocam a experiência e a reflexão, isso se dá, principalmente, por meio de atividades nas quais eles se veem nas ações praticadas”.
     Um grande desafio que tivemos na hora de realizarmos as atividades sobre o meio ambiente foi fazer com que nossas crianças percebessem que tudo que está em volta delas faz parte da natureza e deve ser usado com parcimônia e senso de preservação, não basta criar fantoches e bonecos para dizer como reaproveitar o lixo, é preciso conscientizá-las da interação que existe entre o homem e o meio em que vive. Todas as atividades sobre o assunto “meio ambiente” foram realizadas com muita conversa, destacando sempre a interação que se tem com o ambiente, independentemente do que se estiver trabalhando.
Para a professora Sandra Ruffino, (GPEI, pg. 04),” não basta realizar atividades sobre o meio ambiente sem que antes as crianças conheçam o espaço em que vivem, quantas vezes passamos por um mesmo lugar e não nos damos conta de que ali existe uma árvore ou uma construção?”
        Ela aponta como discussão primordial a percepção ambiental, ou seja, a capacidade dos alunos de detectar as particularidades do meio no qual estão imersos.
Diante disso sabemos que a escola, o CMEI também são responsáveis pelo processo de socialização infantil e são os primeiros espaços das vivências das tensões sociais, nesses ambientes escolares que os preconceitos e os estigmas surgem pela primeira vez. Um é mais baixinho, outro possui traços orientais e tem outro que usa óculos, um é gordinho, outro tem a pele mais escura. As particularidades das pessoas já estão presentes na infância, por isso, a aceitação e o respeito às diferenças devem ser aprendidos desde cedo, para que se tornem, aos poucos, espontâneos e o aprendizado de aceitação das diferenças depende, sobretudo, do ambiente em que a criança está inserida.
        As crianças na educação infantil, quando começam a perceber o outro, elas já localizam identificações e diferenças, sua tendência inicial é se aproximar daquele que considera igual, familiar. Além do próprio estranhamento aquilo que lhe é diferente, ela já pode vir com uma “carga” de preconceito de fora, do convívio com adultos, pode então manifestar discriminações na escola, isolando colegas por motivos diversos: pertencer à outra raça ou outro nível social, ter aparência física diferente, fazer xixi na cama etc.
       Os sinais mais freqüentes dessas exclusões são o tipo de olhar, as palavras agressivas ou de desprezo e o distanciamento físico.
      Segundo a psicóloga Lêda Zoéga, (GPEI, pg.06): “Em todos os casos, a habilidade da professora em trabalhar essas diferenças na sala de aula será fundamental para que a criança não seja vista como diferente, não se isole e se retraia”.
     “As crianças, desde que nascem, participam de diversas práticas sociais no seu cotidiano, dentro e fora da instituição de educação infantil, dessa forma, adquirem conhecimentos sobre a vida social no seu entorno. Sendo que é na instituição de educação infantil que as crianças encontram a possibilidade de ampliar as experiências que trazem de casa e de outros lugares, de estabelecer  novas formas de relação e de contato com uma grande diversidade de costumes, hábitos e expressões culturais. (RCN’S, pg.181)”.
     Em IDENTIDADE E AUTONOMIA trabalhamos respeito às características pessoais, relacionadas a gênero, etnia, peso estatura e outros. Tiveram conhecimento, respeito, valorização de diferentes culturas e utilização de algumas regras elementares de convívio social, observando e explorando o ambiente com atitude de curiosidade, identificando  situações de risco do seu ambiente.
       Em MOVIMENTO ampliaram gradualmente o conhecimento e o controle sobre o corpo e o movimento em situações cotidianas e em suas brincadeiras.
Também se apropriaram das habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade.
         Nas ARTES VISUAIS exploraram e manipularam diferentes materiais,
Criaram desenhos, pinturas, colagens e modelagens a partir de seu próprio repertório e da utilização dos elementos da linguagem das artes visuais: ponto, linha, forma, cor, volume, espaço, textura. Aprenderam a ter cuidados com os materiais no espaço físico da sala, e com os trabalhos e objetos produzidos individualmente ou em grupos.
      Em MÚSICA promovemos situações com músicas, canções e movimentos corporais tiveram conhecimento e participaram de brincadeiras e jogos cantados explorando e identificando elementos da música para se expressarem, interagirem com os outros e ampliarem seu conhecimento de mundo.
      Já em LINGUAGEM ORAL E ESCRITA exploraram materiais impressos como livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc. Reconhecimento da escrita de seu nome e de seus colegas, identificando as letras do alfabeto individualmente, ampliando gradativamente as possibilidades de comunicação e expressão, demonstrando interesse na leitura de diversas modalidades de textos e fizeram uso da linguagem oral para se comunicar e expressar desejos, necessidades, opiniões, idéias, preferências e sentimentos, e relatar suas vivências nas diversas situações.
     NATUREZA E SOCIEDADE houve reconhecimento de fenômenos da natureza, envolvendo a observação e a pesquisa, fizeram manutenção e preservação dos espaços coletivos e do meio ambiente, tendo conhecimento e observação da paisagem local identificando alguns papéis sociais existentes em seus grupos de convívio, dentro e fora da instituição. Exploraram o ambiente, relacionaram-se com pessoas, estabeleceram contato com objetos diversos, manifestando o interesse e a curiosidade havendo um grande desenvolvimento de hábitos de preservação da saúde e do meio ambiente.
            Na MATEMÁTICA foram feitos registros espontâneos dos numerais em situação de uso funcional, (uso social, contagem, calendário). Exploraram situações problemas onde envolviam contagens, medidas, códigos numéricos, sistema monetário, também fizeram utilização de vários tipos de relação (comparação, classificação, ordenação, seriação, expressão de quantidade e a descrição e representação de pequenos percursos e trajetos, observando pontos de referência).
          A avaliação deste projeto aconteceu principalmente a partir da observação e dos registros das atividades executadas, de modo gradual e contínuo. Estas observações e registros serviram para que o projeto fosse avaliado com a mesma constância com que foi sendo realizado, pois desta maneira, pudemos perceber o desenvolvimento das potencialidades das crianças, desta forma observar o crescimento gradual e global de nossos pequenos no decorrer de todo processo, comparando-o com ele mesmo na construção de seus saberes. Diante dos objetivos que foram propostos neste projeto, fizemos uma análise de todas as atividades que foram realizadas dentro e fora da sala de aula com nossos alunos e chegamos á conclusão que conseguimos atingir os objetivos traçados, onde o tema proporcionou experiências diferenciadas em que as crianças tiveram a oportunidade de falar e expor suas vivências, questionando e realizando as atividades propostas.




PROJETO PARA TODAS AS TURMAS – PROFESSORAS MICHELE E SANDRA

TEMA: JOGOS E BRINCADEIRAS
OBJETIVO: Estimular a criatividade das crianças através do brincar e dos brinquedos construídos por elas.